Grupos de Pesquisa

Grupo de Pesquisa Nêmesis  -   Estudos do Léxico e da História da Língua Portuguesa

Líder: Americo Venancio Lopes Machado Filho
Site: https://gruponemesis.ufba.br/
Linha de Pesquisa: História e Funcionamento das Línguas Naturais / Linha - Linguística Histórica, Filosofia e História da Cultura Escrita
Início: 2013

Resumo: O Grupo de Pesquisa Nêmesis, certificado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), em 22 de maio de 2013,  funda-se  sobre o interesse de investigar a história da língua portuguesa, com maior ênfase sobre a história de seu léxico e dos textos do período arcaico do português  nos modelos teóricos da Lexicografia e da Lexicologia, incluindo-se também os modelos e técnicas da Filologia e a relação entre léxico e ensino. Está sediado no Instituto de Letras (ILUFBA) e associado ao Programa de Pós-Graduação em Lingua e Cultura (PPGLinC), da UFBA.

Estudos Linguisticos Hispanicos

Líder: Carlos Felipe da Conceição Pinto
Site: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/67869
Linha de Pesquisa: Linguística Histórica, Filologia e História da Cultura Escrita; Dialetologia e Sociolinguística; Teoria da gramática
Início: 2014
 
Resumo: O grupo de pesquisa pretende consolidar os estudos lingüísticos na área de língua espanhola na Universidade Federal da Bahia. Como repercussões do grupo, espera-se: a) formação de novos pesquisadores (iniciação científica, mestrado e doutorado); b) oferecer contribuições para o avanço do conhecimento empírico e teórico sobre a língua espanhola em perspectivas linguísticas variadas; c) oferta de cursos de especialização/atualização para professores e profissionais da língua espanhola no eixo de formação continuada.

A sintaxe-phi das línguas naturais (PHINA)

Líder: Danniel Carvalho
Linha de Pesquisa: Teoria da Gramática
Início: 2010
 
Resumo: O Phina – A sintaxe-phi das línguas naturais é um grupo de pesquisa certificado pelo CNPq desde 2010 e que tem como objetivo principal reunir pesquisadores cujos trabalhos versam acerca do funcionamento da gramática das línguas naturais a partir de teorias que tenham como base a constituição de seus traços – sejam eles sintáticos ou constituintes de suas interfaces, como os fonológicos, morfológicos e semânticos. Com este intuito, o grupo tem desenvolvido diversas atividades de divulgação dos trabalhos individuais, incluindo a organização de eventos locais, nacionais e internacionais.

Programa para a História da Língua Portuguesa (PROHPOR)

Líder: Alan Baxter
Linha de Pesquisa: Dialetologia e Sociolinguística
Início: 1991
 
Resumo: O Programa para a História da Língua Portuguesa – PROHPOR foi criado em 1990 e cadastrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq em 1991, sob a coordenação da Professora Doutora Rosa Virgínia Mattos e Silva, sua fundadora, professora titular e emérita da Universidade Federal da Bahia e pesquisadora I-A do CNPq, falecida em julho de 2012. No quadro de renovação dos estudos histórico-diacrônicos do português que se produziu na cena acadêmica brasileira do final do século XX, foi o PROHPOR, em 1997, uma das fontes de inspiração para a criação, sob a coordenação de Ataliba Teixeira de Castilho (UNICAMP/USP), do Programa para a História do Português Brasileiro – PHPB, que hoje congrega equipes de investigação de 13 universidades brasileiras: UEL, UFSC, USP, UNICAMP, UNESP, UFRJ, UFMG, UFBA, UEFS, UFPB, UFRN, UFAL e UFPA.

Vertentes do português popular do estado da Bahia

Líder: Cristina Figueiredo
Linha de Pesquisa: Dialetologia e Sociolinguística
Início: 2002
 
Resumo: O Projeto Vertentes do Português Popular do Estado da Bahia, ou Projeto Vertentes, é um projeto de pesquisa linguística desenvolvido na Universidade Federal da Bahia, com recursos públicos, desde o ano de 2002. Com sua pesquisa, o Projeto Vertentes visa a ampliar o conhecimento da realidade sociolinguística do Estado da Bahia, bem como do processo histórico da sua formação, tendo em vista o caráter pluriétnico da sociedade brasileira. Os seus maiores compromissos sociais estão relacionados ao combate ao preconceito linguístico e à elaboração de diagnósticos que subsidiem políticas públicas de ensino de língua portuguesa mais adequadas à realidade linguística e cultural do país.

Atlas Linguístico do Brasil

Líder: Jacyra Mota
Linha de Pesquisa: Dialetologia e Sociolinguística
Início: 1950
 
Resumo: O Projeto Atlas Linguístico do Brasil (Projeto ALiB) – empreendimento de grande amplitude, de caráter nacional, em desenvolvimento – tem por meta a realização de um atlas geral do Brasil no que diz respeito à língua portuguesa. Desejo que permeia a atividade dialetal no Brasil, durante todo o desenvolvimento dos estudos linguísticos e filológicos, ganha corpo nesse final/começo de milênio, a partir de iniciativa de um grupo de pesquisadores do Instituto de Letras. Mais uma vez a UFBA assume atitude pioneira ao empreender a concretização dessa proposta que se realiza como projeto conjunto que envolve hoje doze Universidades.

Interfaces Linguísticas

Líder: Rerisson Cavalcante
Linha de Pesquisa: Teoria da Gramática
Início: 2014
 
Resumo: A constituição do grupo de pesquisa Interfaces Linguísticas, sediado na UFBA, visa a promover e fortalecer a área de estudos linguísticos formalistas, através da articulação de pesquisadores que trabalhem com descrição e análise linguística dentro de quadros teóricos formais. Dentre as perspectivas representadas, estão a Gramática Gerativa (incluindo a Morfologia Distribuída e a Semântica Lexical), a Semântica Formal e a Teoria da Otimalidade. Os temas de pesquisa abrangem fenômenos dos diferentes níveis linguísticos, com destaque para os que envolvem a interação entre os diversos níveis, como a sintaxe-semântica, sintaxe-morfologia, morfologia-semântica, morfofonologia, sintaxe-fonologia, além da interface gramática-pragmática, em perspectiva sincrônica ou diacrônica. Os resultados almejados são a publicação dos estudos desenvolvidos, a organização de cursos e eventos acadêmicos, a formação de novos pesquisadores na área, bem como o intercâmbio com pesquisadores de outras instituições nacionais e internacionais.

Inglês como língua franca: crítica, atitude e identidade

Líder: Domingos Sávio Pimentel Siqueira
Linha de Pesquisa: Linguística Aplicada
Início: 2010
 
Resumo: O objetivo geral do projeto é criar um núcleo de estudos, investigação e produção de conhecimento, ancorando-se em análises profundas do processo de expansão e consolidação do inglês como língua franca da atualidade e suas implicações político-pedagógicas para o nosso contexto de ensino e aprendizagem. A partir de um sólido levantamento bibliográfico, almeja-se, dentre outras coisas, a compreensão de como o inglês tem se desenvolvido mundo afora e de que forma sua expansão nos afeta na posição de formadores de futuros docentes de língua inglesa, visando à configuração de um arcabouço teórico que forneça subsídios para o lançamento de propostas de educação docente e pedagogias locais baseadas na atual condição de se ensinar uma língua franca em países como o Brasil. Com seus estudos críticos sobre e para o tema geral, ILF, o grupo pretende ainda contribuir para a discussão e avaliação curriculares a respeito da formação de futuros professores de ILF, a implementação de projetos de avaliação de materiais instrucionais de língua inglesa existentes, a produção de materiais alternativos, interculturalmente sensíveis, desprovidos de posturas hegemônicas e/ou motivações etnocêntricas, assim como para a consolidação de intercâmbios com outros centros de pesquisa focados em áreas afins em um espaço acadêmico de constante reflexão. 
 
Português, Brasil